O filho do boto

Dizem que um dia a cada sete anos surge uma ala sobrenatural no zoológico de São Paulo. Nela há apenas um animal: o boto-cor-de-rosa. Nesse dia o boto escolhe uma jovem donzela que visite o zoológico e a leva para a ala oculta, com malemolência e palavras macias a seduz e a engravida. Foi o... Continuar Lendo →

Humanário

 I - Homo Ternus Apressadus Se um dia você for à metrópole de São Paulo, não deixe de observar algumas de suas espécies mais interessantes. O Homo Ternus Apressadus habita toda a região, mas é mais frequentemente encontrado no centro expandido da cidade. Possuem um ciclo migratório semanal, por cinco dias são vistos na região central... Continuar Lendo →

O Argentino

Não é segredo algum que, ao contrário de nossas mentes, a Internet e as grandes corporações que a dominam não esquecem os registros e fatos de nossa vida. Muitas vezes, com tantas informações e correlações, sabem mais de nós do que nós mesmos. Qual não foi a surpresa de Odorico naquela manhã quando acordou e... Continuar Lendo →

Os Homens da Lua

O poeta José da Rosa, autor do célebre verso “Esta vida só vai bebendo” e variações, poucos sabem, antes de dedicar-se às letras foi homem da lua, o primeiro deles.   O mais antigo registro da Grande Biblioteca Lunar, localizada nos andares mais altos da sede dos Homens da Lua, data dos primórdios do Egito... Continuar Lendo →

Prólogo para “Assim falou Borba Quincas”

Muito se fala nas ruas do mais plebeu dos filósofos, o grande pensador brasileiro Borba Quincas. O estudo de sua obra no decorrer dos últimos anos têm mostrado diversas perspectivas e descobertas que permaneciam obscuras em parte por não ter deixado, o filósofo, nada escrito. É certo que seus pensamentos permanecem pungentes na mente do... Continuar Lendo →

Gregório Mendes

Gregório Mendes perdeu em definitivo a razão no dia 20 de abril de 2010 após ver um porco voador bater em um tanque de guerra em plena Rua da Consolação. Entretanto Gregório ganhou uma amiga muito mais extravagante e fraterna que o acompanharia por toda a vida: a Sandice. E de fato ele pensava ter... Continuar Lendo →

Os discursos do Padre Leléu

Sou o quê sou. Vou pra onde vou. Vim de lá das terras na qual o Arcebispo Novaes declarou guerra às garotas de biquíni. Por algum tempo agraciaram-no pela sabedoria, se descobrir-se numa festa, ou perante amigos e vizinhos é indecente, por que despir-se no litoral não seria? Depois foi duramente criticado pela mídia local,... Continuar Lendo →

A cidade maldita

A rodovia I.. estava interditada. Seguimos, centenas de caminhões e eu num carro pequeno abarrotado de equipamentos, caixas e instrumentadas pouco úteis para o serviço, pela Estrada Velha de M… Sabia-me atrasado, mas nada tiraria meu bom humor de viagens. Como uma criança sempre me maravilho diante da mata preservada, autoestradas que as cortam e... Continuar Lendo →

O nazista do elevador

Há pouco mais de dois meses me mudei para um apartamento na Vila Madalena, um pouco menor que o antigo, apesar de mais caro. Nos primeiros dias mal descansei com as mudanças e pude assim escapar da infelicidade de travar-me com os vizinhos. Certo dia o infortúnio escolheu-me e não pude evitar uma conversa –... Continuar Lendo →

Será que já abriu?

“Será que já abriu?” – diz um jovem a outro. Estão parados na esquina, um deles escorado no poste, outro a ajeitar, repetidas vezes, o cabelo. A lua quente dá um ar calmo ao bairro, feriado, não há jogo do Corinthians. Um carro dobra velozmente o caminho, um gato foge assustado. Gato preto é sinal... Continuar Lendo →

Crie um site ou blog no WordPress.com

Acima ↑